São Paulo exporta menos carnes

Regiões Norte e Centro-Oeste ganham espaço no exterior por causa da pulverização [br]de frigoríficos

Eduardo Magossi, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2007 | 02h32

A origem da carne bovina exportada pelo Brasil está mudando. Se até 2005 o produto exportado estava 61% concentrado em São Paulo, hoje esta concentração foi reduzida e São Paulo perdeu espaço para Estados das Regiões Centro-Oeste e Norte.''''O deslocamento da origem da carne brasileira exportada é apenas o reflexo de outro movimento migratório mais importante: a ramificação dos frigoríficos e a busca de áreas produtivas pela pecuária que dificilmente serão ocupadas pelos grãos ou pela cana'''', explica o presidente da Scot Consultoria, Alcides Torres, especializada no setor pecuário.PULVERIZAÇÃOEstudo da Scot aponta dois fatores para a migração. O primeiro é a pulverização das unidades frigoríficas. Na eventualidade de um Estado ser embargado por causa de problemas sanitários, o frigorífico poderá exportar a partir de outras unidades. Roraima, por exemplo, que há três anos possuía apenas 1 frigorífico, hoje conta com 14.Além da questão da sanidade, o fato de os frigoríficos estarem se deslocando para Centro-Oeste e Norte é explicado pelo próprio caminho que o boi está fazendo. ''''Os pecuaristas estão indo para regiões onde a terra é mais barata e a cana e os grãos ainda não chegaram.'''' Esta migração fez com que a carne exportada com origem paulista que, em 2005, era de 61% do total, caísse para 49,9% no acumulado de janeiro a agosto de 2007.Mato Grosso do Sul, que ocupava a segunda posição em 2005, com 9,2% do total, passou para a sétima, com mero 1,5% do total. Esta queda é decorrente do embargo sofrido depois do surgimento de aftosa no fim de 2005. Já Goiás, que era o terceiro em 2005, com 8,4% do total, dobrou a participação para 16,9% e ocupa o segundo lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.