São Paulo registra oito mortes por febre amarela este ano

Secretaria recomenda a vacinação para todas as pessoas que vão para Estados com risco de contaminação

Solange Spigliatti, estadao.com.br

31 de março de 2009 | 11h31

A Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo confirmou oito óbitos causados por febre amarela silvestre este ano em todo o Estado. Foram registrados no total 18 casos da doença. As últimas mortes ocorreram na semana passada. Um paciente, Flávio Nunes, de 29 anos, morador de Piraju, estava internado no Hospital das Clínicas de Botucatu e faleceu na sexta-feira. Outro morador de Piraju, um homem de 48 anos, morreu na segunda-feira.

Por conta do aumento de casos, a Secretaria ampliou o número de municípios do Estado em que é obrigatória a vacinação contra a febre amarela. Vinte municípios da região de Botucatu foram incluídos na área de risco e sua população já está sendo vacinada. Segundo a Secretaria, 90,95% dos moradores das áreas urbanas foram imunizados. A vacinação foi totalmente concluída entre os moradores das áreas ribeirinhas e rural.

A secretaria recomenda a vacinação contra a febre amarela para todos os viajantes, turistas, ecoturistas, e motoristas que transitam nos Estados com risco de transmissão. A vacina é gratuita e tem validade por dez anos. No site do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado é possível checar a lista das áreas de risco de transmissão da febre amarela e dos postos onde a vacina está disponível.

Além de postos em todo o Estado, a vacina está disponível nos terminais rodoviários Barra Funda e Tietê, nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos, no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Hospital das Clínicas de São Paulo e no Instituto Pasteur.

Mais conteúdo sobre:
saúdefebre amarelaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.