Satélite que segue furacões pode falhar a qualquer momento

Se o satélite falhar, estima-se que a precisão das previsões meteorológicas de 48 horas cairá 10%, o que poderá levar a erro na avaliação das áreas em perigo

Agencia Estado

14 de junho de 2007 | 17h04

Um satélite meteorológico americano, crucial para prever a intensidade e o rumo de furacões, pode pifar a qualquer momento, e planos para o lançamento de um substituto foram adiados por sete anos, até 2016.Em carta obtida pela Associated Press, responsável pela Administração Nacional de oceano e Atmosfera (NOAA) dos EUA afirma que uma falha do satélite QuickScat poderá tornar as previsões meteorológicas mais incertas, levando a uma ampliação das áreas colocadas sob alerta de furacão.Se o satélite falhar, especialistas estimam que a precisão das previsões meteorológicas de 48 horas cairá 10%, e as de 72 horas perderão 16% de confiabilidade. Isso poderá representar vários quilômetros de costa, e a diferença entre uma cidade ser esvaziada ou deixada em paz.O satélite cobre cerca de 90% dos oceanos do globo."Ficaríamos cegos. Seria um perigo significativo", disse o gerente de emergências do Condado de Charlotte, na Flórida, Wayne Sallade. Charlotte foi duramente atingido pelo furacão Charlie, em 2004.Em carta a um congressista da Flórida, o administrador da NOAA, Conrad Lautenbacher, atribui os atrasos a problemas técnicos e orçamentários.

Tudo o que sabemos sobre:
satélitefuracõesmeteorologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.