Saúde inicia mutirão contra obesidade infantil

Aumento do sobrepeso e da obesidade entre jovens motiva iniciativa em 22 mil escolas de cerca de 2 mil cidades; meta é atingir 5 milhões de alunos

ALINE RESKALLA / BELO HORIZONTE, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

06 Março 2012 | 03h06

Diante do avanço da obesidade infantil no Brasil, equipes do Ministério da Saúde iniciaram ontem um mutirão em 22 mil escolas públicas de 2 mil cidades para alertar os estudantes dos perigos da vida sedentária aliada aos maus hábitos alimentares.

Durante toda a semana, profissionais do Programa Saúde da Escola vão pesar e medir os alunos, calcular o Índice de Massa Corpórea (IMC) e encaminhar os que estiverem com excesso de peso para as Unidades Básicas de Saúde, onde serão examinados e orientados.

O trabalho é o primeiro de uma série do programa Semana de Mobilização Saúde na Escola, lançado ontem em uma escola de Belo Horizonte pelo ministério. A previsão é de que mais de 5 milhões de alunos com idade entre 5 e 19 anos sejam atendidos até sexta-feira.

O secretário de Atenção à Saúde do ministério, Helvécio Magalhães, disse que o problema necessita de intervenção urgente. "Temos de agir agora para não termos uma geração futura de obesos, hipertensos, diabéticos, com riscos cardiovascular, renal e cerebral aumentados". Para ele, é mais fácil tratar a obesidade nas crianças e adolescentes.

As famílias também serão convidadas a visitar as Unidades Básicas de Saúde (UBS) para conhecer os serviços ofertados. Magalhães explica que elas são capazes de resolver até 80% dos problemas de saúde das pessoas, desafogando hospitais de referência da região.

A presidente do Departamento de Obesidade da SBEM, Rosana Radominski, analisa que, nas crianças, a velocidade, em termos de excesso de peso e obesidade, está muito maior que entre os adultos. "Isso tem a ver com a mudança da cultura. Hoje, tem uma inversão nutricional", afirmou, lembrando que a renda das famílias cresceu, mas não trouxe junto uma educação familiar para que a alimentação fosse corrigida.

O secretário considera a Semana um "pontapé inicial" do Saúde na Escola de 2012. "É uma forma de as equipes se entrosarem e se conhecerem e, a partir daí, programarem as atividades que serão realizadas no ano."

Ontem, em Belo Horizonte, o governo apresentou dados recolhidos pela Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) realizada entre 2008/2009 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), segundo a qual 1 em cada 3 crianças com idade entre 5 e 9 anos está com peso acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Entre os jovens de 10 a 19 anos, 1 em cada 5 apresenta excesso de peso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.