Sauditas estudam resposta a plano do Irã para matar embaixador

A Arábia Saudita disse nesta quinta-feira que estava estudando sua resposta à recente conspiração iraniana para assassinar seu embaixador em Washington, incidente que aumentou as tensões entre os dois maiores produtores de petróleo da Opep.

ANGUS MCDOWALL E SYLVIA WESTALL, REUTERS

13 Outubro 2011 | 10h36

O ministro de Relações Exteriores da Arábia Saudita, Saud al-Faisal, disse durante visita à Áustria que o reino teria de tomar "uma resposta comedida" ao suposto plano de assassinato. O Irã afirmou que as acusações foram fabricadas para prejudicar as relações com seus vizinhos.

"Responsabilizamos o Irã por qualquer ação que eles tomem contra nós", disse o príncipe Saud em Viena, onde estava discutindo a abertura de um centro de diálogo religioso. "Qualquer medida que eles tomarem contra nós terá uma resposta comedida da Arábia Saudita."

O príncipe saudita disse não ser a primeira vez que o Irã é suspeito de estar por trás de ataques semelhantes, e condenou o país por tentar interferir nos assuntos das nações árabes. Ao ser indagado sobre medidas que a Arábia Saudita tomaria, ele afirmou apenas: "Teremos que esperar para ver."

Autoridades norte-americanas descobriram um plano de dois iranianos ligados às agências de segurança do Irã para contratar um atirador para matar o embaixador Adel al-Jubeir com uma bomba instalada em um restaurante. Um dos homens, Manssor Arbabsiar, foi preso no mês passado, mas as autoridades acreditam que o outro ainda esteja no Irã.

Mais conteúdo sobre:
ARABIASAUDITAIRAPLANO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.