SC tem 3 cidades com desistência de médicos

Pelo menos três cidades de Santa Catarina tiveram desistências de profissionais cadastrados no programa Mais Médicos. Guaraciba, no extremo-oeste do Estado, Itaiópolis, no norte, e Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, esperavam a chegada de um médico cada nesta segunda-feira, 2. Nesta primeira etapa, 16 cidades catarinenses deveriam receber 24 médicos brasileiros.

TOMAS PETERSEN, ESPECIAL PARA A AE, Agência Estado

03 de setembro de 2013 | 17h21

"O profissional que estava inscrito entrou em contato comigo, anteriormente, anunciando a desistência", disse o assessor de Projetos Especiais da prefeitura de Santo Amaro da Imperatriz, Willian Westphal. Para nenhum destes três municípios, o Ministério da Saúde deu prazo para a chegada de substitutos.

Na capital catarinense, nenhum dos seis médicos previstos se apresentou. De acordo com a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde, tampouco há confirmação de desistência ou outros dados por parte do Ministério da Saúde. Já estão definidos os locais onde os médicos do programa trabalharão, mas a secretaria prefere não anunciá-los para evitar expectativas na população dos bairros.

Já Palhoça, na região metropolitana da capital, recebeu os dois médicos previstos, que foram apresentados nos novos locais de trabalho. O médico Thiago Obiorama Pordeus veio de Rondônia e já nesta quarta-feira, 4, vai liderar uma nova equipe de saúde familiar na Unidade Central de Saúde da cidade.

Já o médico Felipe Montezuma, do Piauí, prestará atendimento no posto da Guarda do Cubatão, uma localidade rural. Montezuma ainda está resolvendo a documentação com o Conselho Regional de Medicina (CRM) do Estado. Por isso, ainda não há previsão para que comece a trabalhar. "Há a previsão da chegada de mais dois médicos brasileiros, mas o Ministério da Saúde ainda não deu notícias", disse a diretora de Atenção Integral à Saúde de Palhoça, Sandra Ribeiro de Abreu.

Mais conteúdo sobre:
Mais MédicosSC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.