Seca ainda castiga lavouras nos EUA, apesar de chuvas

A chuva desta semana e as precipitações previstas para os próximos 10 dias vão melhorar as perspectivas de colheita no norte e no leste do Meio-Oeste dos EUA, mas as lavouras nas demais regiões produtoras ainda vão ser bastante prejudicadas com o calor e a seca que castigam o país, disse um meteorologista agrícola nesta quarta-feira.

Reuters

25 de julho de 2012 | 11h23

"Há uma melhoria no norte e no leste, e nós esperamos mais chuvas hoje e amanhã no centro-oeste e no noroeste", disse Don Keeney, meteorologista na MDA EarthSat Weather.

O calor extremo, no entanto, continuará a castigar as lavouras no sudoeste do Meio-Oeste, com temperaturas superando 100 graus Fahrenheit (38ºC) nesta quarta-feira em St. Louis, Missouri."

A mais extensa seca na principal região produtora de grãos do país em mais de meio século tem reduzido drasticamente as perspectivas de produtividade do milho e da soja, com os preços atingindo recordes de alta no fim da semana passada.

A mudança para um tempo mais úmido durante o fim de semana levou a uma forte queda dos preços dos grãos na segunda e na terça-feira, mas o mercado mostrava sinais de estabilização nesta quarta-feira, já que o clima está longe do ideal e com os especialistas continuamente reduzindo as estimativas de produção de milho deste ano.

O primeiro contrato da soja em Chicago subia 1,73 por cento, ou 28,5 centavos, a 16,7775 dólares por bushel, às 10h08 (horário de Brasília).

O milho tinha alta de 1,08 por cento, ou 8,5 centavos, a 7,985 dólares por bushel.

(Reportagem de Sam Nelson)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMDOSSECAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.