Seca reduz safras de soja e milho do Brasil--AgraFNP

A safra de soja do Brasil 2008/09 foi estimada 57,85 milhões de toneladas, previu nesta quarta-feira a consultoria AgraFNP, que reduziu a sua previsão em relação a dezembro, quando havia projetado a produção do país em 59,2 milhões de toneladas. "A seca no Paraná e no Rio Grande do Sul respondeu por 1,1 milhão de toneladas desse corte na produção de soja", disse à Reuters o analista Pedro Collussi, da AgraFNP, divisão brasileira do grupo internacional Agra Informa. Na safra anterior, o Brasil, segundo produtor e exportador mundial, colheu um recorde de 60 milhões de toneladas de soja. No Paraná, a consultoria reduziu a estimativa de safra em 600 mil toneladas. De acordo com o analista, a falta de chuva causou prejuízos para aqueles produtores paranaenses que apostaram em soja de ciclo precoce, plantando antes, para fugir da ferrugem asiática quando o fungo tende a ficar mais disseminado, em estágios da lavoura mais adiantados. "Para esses produtores (de soja precoce), as perdas chegam a 20 por cento (ante a expectativa original)", afirmou. As lavouras no Sul foram afetadas pela estiagem principalmente entre a primeira semana de novembro e o final da primeira quinzena de dezembro. Chuvas atingiram as regiões produtoras depois do período seco, mas não foram suficientes para reverter o quadro de déficit hídrico. Por isso, a consultoria, apesar de reduzir a estimativa, mantém-se cautelosa, e avalia a possibilidade de mais perdas. "Cerca de 40 por cento da safra de soja do Rio Grande do Sul precisa de chuva urgentemente", disse Collussi. "Ainda é possível alguma recuperação, por isso fomos mais conservadores no corte da soja", disse. SAFRA DE MILHO CAI MAIS A soja costuma ser mais resistente que o milho, tendo um período de floração, quando a umidade é importante, mais longo. Esse é um dos motivos de as perdas no milho terem sido mais volumosas, de quase 4 milhões de toneladas ante a expectativa anterior. O tempo seco no Sul cortou a estimativa de safra de milho do país para 48,4 milhões de toneladas, ante 52,17 milhões na previsão do mês passado, de acordo com a AgraFNP. Esse número da safra total de milho indica uma queda de cerca de 10 milhões de toneladas ante o recorde registrado na temporada passada. "No Rio Grande do Sul, cortamos bastante a produção em relação ao número da Conab (5,2 milhões). Estamos prevendo 3,7 milhões de toneladas", declarou Collussi. O Paraná também sofreu severas perdas no milho, segundo o analista. Paraná e Rio Grande do Sul estão entre os principais produtores de grãos do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.