Secretário britânico vê limitação em papel estrangeiro na Síria

O secretário de Defesa britânico, Liam Fox, pediu na terça-feira reformas na Síria, mas disse haver um limite sobre o que alguns países poderiam fazer para conter a repressão contra os manifestantes antigoverno.

REUTERS

26 de abril de 2011 | 16h16

"Não podemos fazer tudo sempre e temos que reconhecer que há limitações práticas sobre o que nossos países podem fazer", Fox afirmou a repórteres ao ser questionado sobre a falta de intervenção do Ocidente na Síria.

Fox, que se reuniu com o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, também disse ter visto algum impulso no conflito da Líbia nos últimos dias.

Gates afirmou que a coalizão liderada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) não tem especificamente como alvo o líder líbio Muammar Gaddafi, apesar de atingir um de seus complexos com um recente ataque aéreo.

Mais conteúdo sobre:
GBSIRIAINTERVENCAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.