Secretário diz que epidemia de gripe no RS é inevitável

O secretário da Saúde do Rio Grande do Sul, Osmar Terra, voltou a dizer hoje que uma epidemia de gripe A (H1N1), a gripe suína, é inevitável e vai ocorrer em poucas semanas no Estado. Ele ressalvou, no entanto, que ninguém deve entrar em pânico porque a letalidade da doença é baixa. O secretário admitiu ainda que, diante da nova situação, o atual sistema de contenção será trocado pelo atendimento em postos de saúde e hospitais, como sempre foi feito com a gripe comum, com a qual a população está acostumada a conviver.

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

03 Julho 2009 | 20h18

Por sua posição geográfica, o Rio Grande do Sul tornou-se o Estado mais vulnerável à gripe A (H1N1) e, conforme Terra, tende a ter o maior número de casos do País. As fronteiras com a Argentina e o Uruguai, onde já há epidemias, facilitam a propagação do vírus para o Rio Grande do Sul. "Não há como controlar todas as pessoas que transitam de um lado a outro diariamente", avalia o secretário. O boletim mais recente da Secretaria da Saúde indica que o Rio Grande do Sul tinha 106 casos de gripe suína confirmados, 192 suspeitos e 86 descartados até a tarde de quinta-feira.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína Brasil RS epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.