Secretário do Guarujá é vítima de sequestro relâmpago

O secretário de Governo e de Defesa Social do Guarujá, Ricardo Joaquim Augusto de Oliveira, foi vítima de assaltantes que o mantiveram refém, na noite de ontem, durante um sequestro relâmpago na cidade onde atua. Segundo a Polícia Militar (PM), o secretário, por volta das 20 horas, quando deixava a prefeitura, teve o veículo bloqueado por outro automóvel, na Alameda das Margaridas. Três criminosos abordaram a vítima e a forçaram a sentar-se no banco de trás.

RICARDO VALOTA E JULIA BAPTISTA, Agência Estado

11 de maio de 2010 | 11h58

Os suspeitos, armados e encapuzados, amarraram e vendaram Ricardo, fazendo ameaças constantes de matá-lo caso não recebessem dinheiro. Testemunhas ligaram para o 190 e policiais do 21º Batalhão foram acionados. Alguns dos PMs se deslocaram até a casa da vítima e pediram aos parentes de Ricardo que tentassem entrar em contato com ele, mas o secretário não atendeu ao telefone.

Ricardo Joaquim foi abandonado por volta das 21h30 próximo à praça de pedágio Rodovia Piaçaguera-Guarujá, em Cubatão. Os criminosos roubaram alguns objetos da vítima, mas não levaram o secretário para sacar dinheiro em caixas eletrônicos. De acordo com a PM, apesar de ter saído ileso, Ricardo disse ter ficado muito assustado em razão da quantidade de informações pessoais levantadas pelo grupo.

O caso, registrado na delegacia sede da cidade, acontece pouco mais de duas semanas depois de o governo dos Estados Unidos desaconselhar os turistas do país a visitar os municípios paulistas de Santos, São Vicente, Praia Grande e Guarujá. Na ocasião, o alerta levava em conta o registro de 13 assassinatos na região desde o início da segunda quinzena de abril.

Tudo o que sabemos sobre:
crimesequestrosecretárioGuarujá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.