Segunda fase da Unicamp tem abstenção de 12,2%

Estudantes disputam 3.444 vagas em 68 cursos da universidade; provas seguem hoje e amanhã

O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2013 | 02h01

A cobrança pelas obras de literatura obrigatória e a abrangência de assuntos na prova de matemática marcaram o primeiro dia de exames da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), realizado ontem em 18 cidades do País. Mais de 13 mil candidatos responderam às 12 questões de língua portuguesa com literatura e outros 12 itens de matemática.

O índice de abstenção registrada, de 12,2%, ficou um pouco maior que o registrado no ano passado (10,7%). Os estudantes estão na disputa pelas 3.444 vagas de 68 cursos ofertados pela Unicamp, além de outros dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp).

"Enquanto a cobrança de gramática foi bastante básica, em pelo menos 6 das 12 questões da prova de linguagens foram exigidos conteúdos relacionados às obras de literatura que constavam no programa", afirma Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante.

Segundo Tasinafo, o candidato que não leu as obras selecionadas e se limitou a consultar resumos "teria de ter uma excelente" memória" para conseguir responder às questões.

Foram cobrados os livros, Capitães da Areia, de Jorge Amado; Vidas Secas, de Graciliano Ramos; Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida; Til, de José de Alencar; Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, e Sentimento do Mundo, de Carlos Drummond de Andrade.

Além da cobrança de literatura, a prova de linguagens também deu destaque a questões de interpretação. "Cobrou-se a interpretação de diferentes linguagens, a partir de gêneros distintos, como crônica, propaganda, notícias e publicações científicas", afirma Luís Ricardo Arruda, coordenador-geral do cursinho Anglo. Ele criticou o pouco tempo para a resolução das questões.

Já na avaliação de matemática, a prova foi marcada pela diversidade de assuntos previstos no programa. "Teve questões que trataram de polinômios, trigonometria, matrizes, geometria espacial e progressão geométrica", diz Tasinafo. Ainda segundo ele, mesmo com questões contextualizadas, para o exame de matemática era necessário uma série de cálculos para resolvê-las.

A maratona de exames da segunda fase continua hoje, quando os candidatos vão responder 18 questões da prova de ciências humanas e artes e 6 questões de língua inglesa. Amanhã, no última dia, os alunos têm pela frente 24 questões no exame de ciências da natureza. A chamada para a matrícula será divulgada no dia 4 de fevereiro./ CRISTIANE NASCIMENTO, ESPECIAL PARA O ESTADO, e DAVI LIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.