Segurança vai mobilizar até 20 mil homens

Equipes do Esquadrão Antiterror da Brigada de Forças Especiais do Exército, atiradores de precisão da Força Aérea, mergulhadores de combate da Marinha - além, claro, dos agentes das Policias Federal, Civil e Militar. O esquema de segurança previsto para os cinco dias de visita do papa Bento XVI ao Rio, em julho de 2013, vai mobilizar de 12 mil a 20 mil homens e mulheres, contabilizado apenas o contingente das Forças Armadas. Tudo será muito parecido com o plano executado há dois meses, durante a Rio+20. No evento da Organização das Nações Unidas (ONU), o custo bateu nos R$ 132 milhões. Deve sair por menos na Jornada Mundial da Juventude. Boa parte dos investimentos já foi feita: é permanente, como os recursos aplicados nas Salas de Situação, para integrar comando, controle e comunicações.

ROBERTO GODOY, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2012 | 03h08

Na chegada do papa e depois, na partida, o espaço aéreo será fechado. A operação será a segunda de um longo ciclo que começou na Rio+20, prossegue em 2013 com o evento católico e, pouco depois, a Copa das Confederações. Em 2014, cobre a Copa do Mundo, e em 2016, os Jogos Olímpicos. O investimento total do governo com a segurança do conjunto é estimado em R$ 1,5 bilhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.