Seis cidades da Grande SP baixam tarifas de ônibus

Seis cidades da Grande São Paulo baixaram as tarifas de ônibus municipais. As prefeituras alegam que, como haviam feito o reajuste no começo do ano, tiveram de recalcular o valor após a publicação da medida provisória que desonerou o transporte público.

TIAGO DANTAS, Agência Estado

07 de junho de 2013 | 07h34

Nesta quinta-feira, a prefeitura de Guarulhos anunciou que a passagem de ônibus passará de R$ 3,30 para R$ 3,20 a partir do dia 17. Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Mauá e Ribeirão Pires haviam decidido, anteontem, reduzir a tarifa para R$ 3,20 a partir do dia 15. O mesmo valor já era praticado por Diadema.

Cortes semelhantes podem ser anunciadas por outros municípios. O prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PT), pretende se reunir hoje com chefes do Executivo de cidades vizinhas para discutir o assunto. Desde 1.º de junho está em vigor a MP que reduziu a zero as alíquotas do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre a receita das empresas de transporte. Nos bastidores, políticos afirmam que há pressão do governo federal para que prefeitos de partidos que formam a base aliada reduzam a tarifa para segurar a inflação.

Interior

A tarifa dos ônibus de São José dos Campos também foi reduzida em R$ 0,10 e, a partir do dia 15, será de R$ 3,20. A Prefeitura de Campinas informou que pediu estudos para decidir se vai baixar preços. Em Sorocaba, movimentos sociais pedem a redução da tarifa, mas, desde quarta-feira, a passagem teve aumento médio de 6,18% - de R$ 2,95 para R$ 3,15.

No Recife, também não houve redução dos preços. O Grande Recife Consórcio de Transporte realiza análise econômico-financeira sobre os impactos da desoneração do PIS/Cofins. A tarifa é de R$ 2,25. Em Belo Horizonte, apesar da desoneração da MP, não está prevista nenhuma alteração para os preços das passagens de ônibus nos próximos dias.

A desoneração dos transportes públicos é defendida pela Frente Nacional dos Prefeitos, segundo o presidente da entidade, José Fortunati (PDT), prefeito de Porto Alegre. "É natural que a desoneração seja repassada aos usuários. E isso é necessário. Com os incentivos do governo federal às indústrias automotivas, as grandes cidades estão beirando o caos."Em Porto Alegre, a tarifa do transporte urbano chegou a ser reajustada de R$ 2,85 para R$ 3,05 em março, mas voltou ao valor anterior no início de abril, por decisão da Justiça. (Colaboraram João Carlos de Faria, Marcelo Portela, Elder Ogliari, José Maria Tomazela e Angela Lacerda). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
TARIFAREDUÇÃOCONSOLIDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.