Seleção sub-17 de Ruanda tenta refazer imagem do país pós-genocídio

Jogadores estão disputando o seu primeiro Mundial de futebol, no México.

BBC Brasil, BBC

24 Junho 2011 | 08h48

Dezessete anos depois de um dos maiores genocídios da história, Ruanda tenta refazer a sua imagem internacional através do futebol. Pela primeira vez na história, Ruanda se classificou para uma Copa do Mundo de futebol: O Mundial masculino sub-17, que está sendo jogado no México.

Em 1994, mais de oitocentos mil africanos da etnia tutsi, além de hutus moderados, foram assassinados. O episódio marcou a forma como o mundo vê o país.

Os jogadores da seleção sub-17 nasceram nos meses do genocídio, ou pouco depois. Agora, eles são vistos como o símbolo da reconciliação e união de Ruanda.

As Vespas de Ruanda, como são conhecidos os jogadores da seleção nacional, não tiveram a melhor das estreias no torneio, com derrotas para as tradicionais Inglaterra e Uruguai. Com poucas chances de classificação, o time tenta conquistar o seu primeiro ponto em um Mundial no sábado diante do Canadá. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.