Sem pressa: não é fast-food!

Ganhou ares de instantâneo, mas na verdade seu preparo é muito lento, pois sem caldo saboroso e aromático não há bom lámen. Nasceu na China e virou rámen no Japão, onde se tornou o prato reconfortante mais popular. Coma devagar e ruidosamente

Luciana Mastrorosa - Especial para O Estado de S.Paulo,

16 Abril 2009 | 09h08

Ele pode até ser feito em casa. Mas é mais comida de restaurante e de rua, pela complexidade da elaboração dos caldos, demorados demais para serem feitos no dia-a-dia. É servido quente ou frio. E apesar de comida popular, o lámen também tem versões gastronômicas. Nesta página Paladar apresenta três receitas - todas adaptadas para o preparo doméstico - , uma quente, uma fria e uma assinada por David Chang, o enfant terrible da cozinha novaiorquina. Ele resolveu anos atrás americanizar o lámen e abriu o Momofuku Noodle Bar. Veja também: Por um fio Receita de lámen de porco Receita de lámen quente Receita de lámen gelado Fascinado por texturas Chang vê no lámen a chance de reunir tudo que pensa sobre cozinha. "Apesar de usar molhos muito fortes gosto de sentir o sabor de cada ingrediente. É assim que a gente trabalha, fazendo comida que parece simples, mas que tem várias técnicas". Aska - R. Galvão Bueno, 466, Liberdade, 3277-9682 Lámen Kazu - R. Tomaz Gonzaga, 51, Liberdade, 3277-4286 Porque Sim - R. Tomaz Gonzaga, 75, Liberdade, 3277-1557 Sushi Guen - R. Manoel da Nóbrega, 76, lojas 13 e 14, Jd. Paulista, 3289-5566

Mais conteúdo sobre:
Paladar macarr&atilde o l&aacute men

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.