Sem-teto devem deixar hoje prédio invadido em SP

As cerca de 1.200 pessoas, entre elas 373 crianças, que invadiram e ocupam desde o dia 4 de outubro um prédio da Avenida Ipiranga, região central de São Paulo, devem deixar o edifício nesta manhã. A medida irá cumprir decisão judicial de reintegração de posse.

RICARDO VALOTA E LUCIANA FADON VICENTE, Agência Estado

25 de novembro de 2010 | 07h49

As famílias de sem-teto, coordenadas pela Frente de Luta por Moradia (FLM), tentaram anteontem, junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), suspender a reintegração, mas não conseguiram. Segundo uma das coordenadoras das famílias, já houve uma reunião entre os sem-teto e a Polícia Militar, na qual os sem-teto se comprometeram a colaborar com o trabalho dos policiais.

O prédio invadido e que estava abandonado pertence, segundo os invasores, à HM Engenharia, que faz parte do grupo Camargo Corrêa. Segundo nota da FLM, "no prédio, que estava abandonado abrigando ratos, baratas e lixo, se encontram 1.200 pessoas e, desde a ocupação, tem cheiro de limpeza e da comida que é preparada na cozinha coletiva no primeiro andar".

Trânsito

Devido à operação policial de reintegração, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) aconselha aos motoristas que evitem a Avenida Ipiranga, entre as avenidas São João e Rio Branco. A operação ocupa duas faixas do local.

De acordo com a CET, motoristas que utilizam a pista da direita da Avenida Ipiranga devem seguir pela Avenida Rio Branco (sentido bairro), fazer o retorno na Praça Princesa Izabel, Avenida Rio Branco (sentido centro), Largo do Paissandu e seguir pela Avenida São João para voltar à Avenida Ipiranga.

Quem trafega pela pista da esquerda deve seguir pela Avenida Rio Branco (sentido centro), Largo do Paissandu e Avenida São João para acessar novamente a Avenida Ipiranga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.