Sem-teto interditam estrada e ocupam prédios em PE

Lentidão na PE-15 chegou a 10 km; grupo reivindica recursos dos governos estadual, municipal e federal

Monica Bernardes, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2008 | 12h14

Um grupo de militantes ligados ao Movimento dos Trabalhadores Sem-teto (MTST) interditou, na manhã desta quarta-feira, um trecho da rodovia estadual PE-15, na altura do município de Paulista, na região metropolitana do Recife. Durante cerca de 40 minutos todas as faixas da via nos dois sentidos foram fechadas por uma barricada formada por pedras, pneus e pedaços de madeira.   Segundo informações repassadas pela Polícia Rodoviária Estadual, o congestionamento na região chegou a 10 quilômetros no final da manhã. O clima no local ficou tenso depois que policiais rodoviários tentaram, por duas vezes, desobstruir a rodovia.   De acordo com a coordenação estadual do MTST, o protesto - assim como outras 17 ações previstas para serem realizadas ao longo do dia - tem como objetivo cobrar aos governos (federal, estadual e municipal) a liberação de recursos para a construção de habitações destinadas às famílias sem-teto.   De acordo com uma das coordenadoras estaduais do movimento, Ana Maria Fortunato, as atividades realizadas em Pernambuco fazem parte de uma mobilização nacional, prevista para durar até o final da semana.   "Os governos continuam tratando os sem-teto como se fosse uma questão invisível. Até agora só temos promessas de inclusão no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), mas de concreto nada tem acontecido. As pessoas estão cansadas de esperar. Queremos garantias reais de que as milhares de famílias sem-teto deste País terão uma casa para morar e condições de resgatar sua dignidade", afirmou.   Ocupações   Ainda durante a manhã, os sem-teto afirmam terem promovido quatro ocupações de prédios e terrenos públicos em Pernambuco. Em Caruaru, cerca de 40 famílias ocuparam um prédio pertencente ao INSS. Em Arcoverde, no sertão do Estado, outras 30 famílias ocuparam um prédio abandonado pertencente à Companhia nacional de Abastecimento (Conab).   As outras duas atividades, segundo os sem-teto teriam sido realizadas nas cidades de Camaragibe e Moreno, ambas na região metropolitana do Recife. No entanto, a reportagem não conseguiu informações sobre as supostas ações.

Tudo o que sabemos sobre:
MTST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.