Sem-Teto ocupam terreno da prefeitura em Niterói

Cerca de 200 famílias, sob a coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), ocuparam na noite desta sexta-feira (7) um terreno da prefeitura na localidade de Pendotiba, em Niterói (região metropolitana do Rio). Os ocupantes são moradores de favelas da cidade e famílias que perderam as casas nas enchentes de 2010.

LUCIANA NUNES LEAL, Estadão Conteúdo

08 Agosto 2015 | 13h37

Dois edifícios do conjunto habitacional construído pelo programa Minha Casa, Minha Vida no bairro do Fonseca, em Niterói, para os desabrigados, foram demolidos em 2013, por falhas na estrutura dos prédios. O MTST tenta um acordo com a prefeitura para construir moradias no terreno de Pendotiba por meio do Minha Casa, Minha Vida Entidades, em que movimentos sociais se tornam gestores do empreendimento.

"Os representantes da prefeitura manifestaram interesse em negociar com a gente, mas acham difícil que a construção das moradias seja neste terreno de Pendotiba. Este terreno está abandonado e é bem assistido por transporte público, está próximo a escolas, posto de saúde. É em lugares como este que devem ser implementadas as políticas de moradia popular", diz Vitor Guimarães, coordenador estadual do MTST.

Um carro da Polícia Militar e outro da Secretaria Municipal de Ordem Pública estavam no local, estacionados do outro lado da rua. Três secretários municipais, de Participação Social, de Obras e da Secretaria Executiva, estiveram no terreno na manhã deste sábado.

Mais conteúdo sobre:
sem-tetoocupaçãoNiteróiRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.