Sementes de 200 anos germinam na Grã-Bretanha

Sementes que tinham sido guardadas há mais de 200 anos germinaram, graças a um projeto de botânicos britânicos.Cientistas do Millenium Seed Bank, em Wakehurst Place ao sul de Londres, que é gerenciado pelo Royal Botanic Gardens, induziram plantas de três espécies a germinar.As sementes foram para a Grã-Bretanha, originárias da África do Sul, em 1803, pelas mãos de um mercador holandês, e foram encontradas em um livro de anotações guardado no Arquivo Nacional.Devido a essas circunstâncias, a equipe que conduziu a experiência se disse surpresa com o sucesso.?As sementes foram guardadas em condições bastante inadequadas?, disse Matt Daws, um ecologista do Millenium Seed Bank, especializado em sementes.?Elas ficaram num navio por quase um ano e depois ficaram guardadas na Torre de Londres por todo esse tempo?, disse Daws. ?Só nos últimos dez anos é que elas foram guardadas da maneira correta?.?Eu achava que nenhuma delas germinaria, mas três espécies provaram que são realmente duronas?, afirmou o pesquisador, em entrevista à BBC.Liparia villosaDas três sementes que germinaram, uma delas é uma hortaliça, Liparia villosa, e as outras duas ainda não foram identificadas com precisão, sendo que uma é do gênero protea e a outra, acacia.A Liparia está se saindo particularmente bem, com 16 das 25 sementes originando novas plantas.A acacia foi germinada num processo mais cuidadoso. ?Só tínhamos duas sementes para trabalhar e uma delas tinha sido comida por um inseto?, explicou Daws.FogoIncêndios, que acontecem naturalmente com freqüência na região da África do Sul de onde vêm as plantas, agem como um sinal para que elas germinem.Assim, os cientistas simularam os efeitos do fogo, quebrando as grossas cascas de algumas delas e expondo outras à fumaça.Mesmo com todos os cuidados, 29 das 32 espécies não germinaram.Estas não são as sementes mais velhas a germinar. Em 2002, cientistas americanos conseguiram sucesso com sementes de lótus de 500 anos. Mais recentemente, um grupo de cientistas israelenses disse ter tido sucesso germinando uma palmeira a partir de uma semente de 2 mil anos.Ainda que as plantas do Millenium Seed Bank sejam muito mais novas, o experimento ganha notoriedade por causa de suas condições de armazenamento - muito mais precárias.HistóriaAs sementes foram embarcadas na África do Sul, pelo holandês Jan Teerlink, no navio Henriette, que levava seda e chá, de Java e da China, para a Europa, parando no Cabo da Boa Esperança durante o trajeto.Durante o retorno à Europa, o Henriette foi capturado pela Marinha britânica, e todos os seus pertences - incluindo seu caderno de notas - ficaram com a Alta Corte do Almirantado e posteriormente, na Torre de Londres.Não se conhecem as razões pelas quais Teerlink estava com as sementes ou porque elas estavam em seu diário.Quando as plantas forem mais maduras, os cientistas britânicos farão análises genéticas e genômicas, comparando-as com plantas modernas das mesmas espécies, avaliando as mudanças e adaptações ocorridas nos dois últimos séculos.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2006 | 16h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.