Senado aprova criação da Universidade da Fronteira Sul

O Senado Federal aprovou ontem a criação da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Considerada estratégica no programa de interiorização do ensino público superior no País, a instituição começará a funcionar no ano que vem com 2.160 alunos, distribuídos em 21 cursos. O processo ainda deve passar pela Comissão de Educação e a lei que cria a UFFS entrará em vigor cinco dias depois de ser sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agencia Estado

27 de agosto de 2009 | 12h07

As vocações regionais foram definidoras na escolha dos cursos em cada um dos campi em Santa Catarina (Chapecó), Paraná (Realeza e Laranjeiras do Sul) e Rio Grande do Sul (Erechim e Cerro Largo). Em conjunto, os campi atenderão 396 municípios, beneficiarão cerca de 3,7 milhões de habitantes e a intenção é somar 10 mil vagas em até quatro anos.

O processo seletivo dos 2.160 estudantes que vão entrar na universidade, em março de 2010, será realizado em duas partes: pelo resultado da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e pelo conjunto das ações afirmativas, contemplando alunos de escolas públicas e que moram nas regiões de abrangência da instituição.

Doação

Na última sexta-feira, um empresário doou o terreno para a construção da sede da UFFS. A área de aproximadamente 1 milhão de metros quadrados, localizada próximo ao município de Guatambu, foi entregue à prefeitura de Chapecó, que ficou responsável pela infraestrutura do local. A prefeitura doará o terreno à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), tutora da nova entidade, que vai repassá-lo à UFFS assim que a lei de criação for sancionada pelo presidente Lula. Além disso, a tutora auxiliará no processo de instalação da reitoria da nova universidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.