Senado dos EUA confirma Petraeus como chefe do Comando Central

General será responsável por operações americanas no Oriente Médio.

Da BBC Brasil, BBC

11 Julho 2008 | 03h39

O Senado americano aprovou a nomeação do general David Petraeus, comandante militar americano no Iraque, para o cargo de chefe do Comando Central das Forças Armadas dos Estados Unidos.Quando assumir o cargo, em setembro, Petraeus será responsável pelas operações militares americanas no Oriente Médio. A área abrangida pelo Comando Central, que vai do chifre da África até a região central da Ásia, inclui todas as operações americanas no Iraque e no Afeganistão, assim como em relação ao Irã e o Paquistão.O nome de Petraeus foi indicado pelo governo americano em abril, depois que o almirante William Fallon renunciou ao cargo. Sua nomeação, porém, ainda precisava ser aprovada pelo Senado, o que ocorreu nesta quinta-feira.Fallon anunciou sua renúncia em março, depois da divulgação de relatos na imprensa de que se opunha à política da Casa Branca em relação ao Irã.Redução da violênciaFoi durante a gestão de Petraeus no Iraque que ocorreu o aumento do número de tropas americanas no país. Esse aumento, de cerca de 30 mil militares desde ano passado, é apontado como um dos fatores responsáveis pela redução da violência no Iraque.Segundo a correspondente da BBC em Washington Jane O´Brien, o aumento da violência no Afeganistão é motivo de grande preocupação no Congresso americano, e os parlamentares querem que isso seja uma prioridade para o comandante.O Departamento de Defesa afirmou esperar que a troca de comando militar no Oriente Médio resulte em maior segurança e estabilidade em toda a região.Petraeus será substituído no Iraque pelo general Raymond Odierno, cuja nomeação também foi aprovada pelo Senado.O secretário de Defesa americano, Robert Gates, disse que Petraeus não vai deixar o Iraque imediatamente, para garantir que haja tempo suficiente para a transferência de comando.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.