Sensor ameaça lançamento do Atlantis

Um sensor de combustível que já deu problemas à Nasa voltou a se comportar mal na manhã desta sexta-feira. Técnicos da agência espacial lutam para reparar o problema a tempo do lançamento do ônibus espacial Atlantis, previsto para o final da manhã. A Nasa não suspendeu os preparativos para o lançamento, disse o porta-voz Bruce Buckingham. Se o conserto não der resultado, os administradores da Nasa têm duas opções: cancelar o lançamento desta sexta-feira e tentar no sábado, ou lançar a nave com apenas três dos quatro sensores funcionando. Segundo o assessor de imprensa da Nasa, Dean Acosta, a equipe parece mais inclinada pela segunda possibilidade, mas nenhuma decisão foi tomada.No início do ano, o lançamento do ônibus espacial Discovery foi adiado por quase dois meses para a substituição de sensores do tanque de hidrogênio. Esses sensores são projetados para impedir que os motores da nave funcionem por tempo de mais - ou de menos - quando a nave está em ascensão. A desativação do motor na hora errada pode levar a resultados catastróficos, com a nave incapaz de atingir o espaço.Se o lançamento não ocorrer nesta semana, a Nasa terá a opção de adiar o vôo até outubro, ou relaxar a norma de segurança que exige que as decolagens de ônibus espaciais só ocorram durante o dia, e tentar novamente ainda em setembro. O cronograma para este mês está apertado por conta do lançamento previsto de uma nave russa Soyuz para a Estação Espacial Internacional (ISS) no dia 18. A ISS não tem como acomodar o Atlantis e a Soyuz ao mesmo tempo.Uma vez que a nave russa atenha retornado para a Terra, a Nasa poderia tentar lançar o Atlantis em 28 ou 29 de setembro, mas esse vôo teria de partir à noite, de acordo com o porta-voz Allard Beutel.A Nasa terá de comprimir 15 lançamentos de ônibus espaciais ao longo dos próximos quatro anos para concluir a construção da ISS até 2010, quando a frota de ônibus espaciais deverá ser aposentada.

Agencia Estado,

08 de setembro de 2006 | 09h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.