Sepp Blatter é reeleito como presidente da Fifa

Eleição ocorreu em meio a acusações de corrupção no órgão; presidente propõe reformas para ampliar transparência.

BBC Brasil, BBC

01 Junho 2011 | 13h15

O atual presidente da Fifa, Sepp Blatter, foi reeleito nesta quarta-feira para mais um mandato de quatro anos à frente da entidade, em meio a suspeitas de irregularidades no órgão.

Candidato único na eleição, Blatter foi reconduzido ao cargo com 186 votos na eleição realizada na sede da Fifa em Zurique, na qual votaram representantes de 203 dos 208 países-membros.

A votação, que concedeu o quarto mandato consecutivo ao suíço, foi marcada por acusações de corrupção envolvendo diversos nomes do comitê executivo da Fifa, incluindo Blatter e seu oponente no pleito, o presidente da Federação Asiática, Mohamed Bin Hamman, que retirou sua candidatura.

Mais cedo, uma proposta da Federação Inglesa (FA) de que a votação desta quarta-feira fosse adiada foi rejeitada por 172 dos 208 representantes em Zurique.

Críticas

A proposta inglesa foi atacada por vários delegados da Fifa, incluindo o presidente da Federação Argentina, Julio Grondona, e um dos vices da Fifa.

"Sempre recebemos ataques da Inglaterra, que são em sua maioria mentiras apoiadas pelo jornalismo, que está ocupado mentindo ao invés de falar a verdade", disse ele.

Críticas foram feitas também pelo representante espanhol, Angel Maria Villar.

"Temos que impedir que essas pessoas nos ataquem. Eles nos insultam, é barato, não custa nada", disse ele.

Mudanças

Antes da votação, Blatter anunciou propostas de reformas para tornar a Fifa mais transparente.

"Vão ser feitas reformas, decisões radicais. A tolerância zero é para todos", disse ele.

Ao contrário da terça-feira quando disse que a Fifa não enfrentava uma crise, mas "apenas alguns problemas", Blatter reconheceu que "o navio da Fifa está em águas turbulentas, mas este navio precisa ser trazido de volta a seu caminho".

"Sou o capitão e portanto é minha responsabilidade me certificar de que ele volte ao rumo certo", disse.

Entre as propostas está a de permitir que a escolha da sede das próximas Copas do Mundo seja ampliada a todos os 208 representantes de países. Atualmente a escolha é feita apenas pelos 24 integrantes do comitê executivo da entidade.

Outra proposta é que os 208 representantes dos países também tenham o direito de nomear o comitê de ética da Fifa. Uma terceira proposta criaria um comitê para lidar com críticas feitas à entidade.

Blatter pediu também pelo fim das denúncias feitas contra a Fifa.

"Precisamos parar de uma vez por todas com essas críticas feias, alegações, insinuações de trapaças."

Também nesta quarta-feira, o presidente da Federação Alemã de Futebol pediu para que a Fifa reexamine a decisão de escolher o Catar como sede da Copa de 2022.

"Existe um considerável nível de suspeita que não pode ser ignorado. Acredito que a escolha da Copa do Mundo sob essas condições precise ser reexaminada", disse Theo Zwanziger.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.