Sequência de crimes violentos assusta Mairinque-SP

Uma sequência de crimes violentos assusta os moradores de Mairinque, na região de Sorocaba (SP). Desde agosto, houve sete assassinatos - com duas decapitações - na cidade de 43,5 mil habitantes. Em todo o primeiro semestre, tinham sido registrados cinco homicídios no município. Dos crimes, cinco aconteceram no mesmo local, a Estrada Governador Mário Covas, no bairro Moreiras, na zona rural. Na noite deste domingo, 13, três homens encapuzados invadiram a chácara do aposentado Antônio Roque, de 62 anos, mataram-no com dois tiros e fugiram levando o carro dele, que foi incendiado a poucos metros.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

14 Outubro 2013 | 19h25

Na mesma estrada, na noite do dia 29, Gilmar Ferreira Guimarães, de 37 anos, e a ex-mulher dele Siluana Alves, de 21, foram executados com tiros na nuca. Duas filhas do casal, com 1 e 3 anos, foram abandonadas na estrada. Foram presos três suspeitos do crime. Um mês antes, o caseiro José Carlos da Silva, de 46 anos, e o pedreiro José Luciano Pereira Souto, de 33, foram decapitados por dois homens na casa em que moravam. A namorada de um deles, Cristina Xavier de Jesus, de 23 anos, teve o pescoço cortado, mas sobreviveu.

Em 9 de agosto, o subcomandante da Guarda Civil de Mairinque, Laércio de Souza Lanes, e a mulher dele Lindalva Prado Lanes, foram executados na residência do casal, no Jardim Vitória. O filho deles foi baleado na cabeça, mas sobreviveu e ainda está em tratamento. Foram presos cinco suspeitos desse crime. A Polícia Civil anunciou que seis dos sete homicídios foram esclarecidos. Os acusados da morte do casal também teriam sido autores do outro duplo homicídio por decapitação. A morte do aposentado é investigada e existem suspeitos.

Mais conteúdo sobre:
Mairinquecrimes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.