Sequestradores ligados à Al-Qaeda prometem mais ações, diz agência

Extremistas islâmicos alertaram cidadãos argelinos a 'ficarem longe de instalações estrangeiras'

Reuters

18 de janeiro de 2013 | 08h07

PARIS - O grupo ligado à Al-Qaeda que afirma estar por trás do sequestro de dezenas de pessoas num complexo de gás na Argélia prometeu, nesta sexta-feira, 18, realizar mais operações, disse a agência de notícias da Mauritânia ANI, citando um porta-voz do grupo.

O grupo Mulathameen alertou os cidadão argelinos a "ficarem longe de instalação de companhias estrangeiras, uma vez que vamos atacar onde é menos esperado", disse a ANI.

Não foi possível verificar de forma independente a reportagem da ANI de imediato, mas a agência tem contatos próximos com o grupo liderado por Mokhtar Belmokhtar.

Mais conteúdo sobre:
ArgéliaMaliFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.