Khalil Hamra/ AP
Khalil Hamra/ AP

Série de atentados no Cairo deixa ao menos cinco mortos

Polícia foi alvo dos ataques, que ocorreram em três pontos distintos da capital egípcia

O Estado de S. Paulo,

24 de janeiro de 2014 | 08h12

A explosão de um carro-bomba no estacionamento do prédio do comando de segurança do Cairo, nesta sexta-feira, deixou ao menos quatro mortos, em um dos piores ataques contra um alvo do governo em meses, segundo fontes de seguranças.

A explosão, que ocorreu no início da manhã e atingiu o Diretório de Segurança do Cairo, aumenta temores de que a insurgência islamita esteja ganhando força.

Horas após o ataque, outras duas explosões sacudiram a capital.  Segundo o Ministério do Interior, uma outra bomba matou um policial e feriu outros nove em outra região do Cairo.

Fontes de segurança afirmaram que uma pessoa dirigindo um carro passou por veículos de segurança e lançou uma granada na direção deles.

Em Giza, um grande distrito nos arredores do Cairo, uma terceira explosão ocorreu perto de uma sede da policial. Não havia relatos de feridos ou mortes de imediato.  Os mortos no primeiro ataque incluem três policiais, disseram fontes de segurança.

Uma TV estatal divulgou, segundo informações do governador do Cairo, que 50 pessoas ficaram feridas.  Testemunhas da Reuters ouviram disparos de armas de fogo logo após a explosão, que acabou danificando comércios próximos.

Testemunhas do ataque ouvidas pela TV estatal disseram que homens em motocicletas e armados abriram fogo contra prédios próximos depois da explosão.

Ninguém assumiu a autoria pelos ataques, ocorridos na véspera do terceiro aniversário do levante que derrubou o ditador Hosni Mubarak e plantou esperanças de uma democracia estável na maior nação do mundo árabe. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Egito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.