Serra admite existência de grupo de extermínio na polícia

"Não admitimos esquadrões. Grupos de extermínio. Estamos combatendo", disse governador em São Vicente

REJANE LIMA, Agencia Estado

21 de fevereiro de 2008 | 15h54

Pela primeira vez desde que uma série de reportagens de 'O Estado de S. Paulo' revela a suspeita de criação de um grupo de extermínio formado por policiais do 18º Batalhão da Polícia Militar, em São Paulo, o governador José Serra (PSDB) admitiu a existência de grupos de extermínio na polícia paulista.   "Não admitimos esquadrões. Grupos de extermínio. Estamos combatendo. Não é uma tarefa fácil. Estamos trabalhando com muita firmeza nessa direção", disse o governador, nesta quinta-feira, 21, em São Vicente, na Baixada Santista.   Serra afirmou que o governo do Estado está trabalhando duro para combater os problemas que vem ocorrendo em alguns batalhões da polícia paulista. "A polícia tem duas diretrizes do governo do Estado: uma é a dureza contra o crime. A segunda é o respeito aos direitos individuais e aos direitos humanos", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.