Serra come carne suína e reclama de edição 'desonesta'

Após virar hit na internet com uma declaração editada sobre a gripe suína - Influenza A (H1N1) -, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), almoçou hoje com produtores de carne de porco, na capital paulista, para atestar a segurança do alimento. No dia 27, em Ribeirão Preto, no interior do Estado, o governador disse que a gripe era transmitida "dos porquinhos para as pessoas quando eles espirram ou quando a pessoa chega perto do nariz do porco". Desde então, vídeos com a declaração, que segundo ele é fruto de uma "montagem desonesta", lideram a audiência no site YouTube.

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

12 de maio de 2009 | 15h37

Questionado se tinha algum arrependimento de ter dito a frase, Serra afirmou que não e justificou: "A declaração foi cortada, puseram um trechinho no YouTube esperando que os jornalistas repercutissem uma montagem desonesta". O almoço aconteceu num restaurante na zona sul da capital paulista. Serra comeu filé mignon suíno no azeite extravirgem com legumes cozidos.

Depois do almoço, o governador esforçou-se para desfazer a saia-justa provocada pelas declarações e passou dois minutos da entrevista coletiva elogiando a qualidade da carne suína. "Não há motivo para deixar de comer carne de porco porque batizaram essa gripe de suína", disse Serra. "Pode consumir carne suína à vontade. Vou virar freguês desse filé."

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaJosé SerravídeoSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.