Serra diz esperar do partido empenho para eventual segundo turno

Em seu último grande evento de campanha nesta quarta-feira antes do primeiro turno, o candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, disse esperar determinação de todos os correligionários para um eventual segundo turno.

REUTERS

29 de setembro de 2010 | 22h30

"Estive trabalhando o tempo inteiro pela unidade no partido. Agora, é evidente que as pessoas que trabalharam nas suas campanhas poderão ajudar muito na campanha nacional", disse a jornalistas antes de um evento na Mooca, bairro da cidade de São Paulo onde Serra nasceu.

"A determinação que eu gostaria que o (senador) Sérgio Guerra desse ao partido é que ninguém viajasse de férias depois da eleição", afirmou o tucano.

Embora três recentes pesquisas --dos institutos Datafolha, Ibope e Sensus-- apontem que a eleição pode ser decidida em favor de Dilma já no primeiro turno, o tucano permanece confiante na realização de um eventual segundo turno.

Os números mais animadores para Serra estão na pesquisa divulgada pelo Datafolha em 28 de setembro. Nela, Dilma lidera com 51 por cento dos votos válidos, enquanto os demais candidatos --incluindo o candidato do PSDB-- atingem 49 por cento.

Levando em conta a margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos, a disputa poderia ir para um segundo turno.

É um cenário bem diferente do visto no início da corrida eleitoral, em abril. Há seis meses, Serra estava à frente nas pesquisas. Naquela época, as intenções de voto para o tucano estavam próximas de 40 por cento, enquanto Dilma não atingia 30 por cento.

Em maio, os dois já estavam empatados. Resultado que se repetiu com pequenas oscilações até agosto, quando Dilma pulou para a dianteira nas três principais sondagens e chegou a figurar no patamar dos 50 por cento das intenções de voto.

(Reportagem de Fernando Cassaro)

Tudo o que sabemos sobre:
ELEICOESSERRACOMICIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.