Serra: há indícios da ligação de policiais com extorsão

O governador de São Paulo, José Serra, disse hoje em visita a Jundiaí que são grandes os indícios de responsabilidade pública dos nove policiais civis presos sob a acusação de extorquir R$ 35 mil de um traficante de Campinas, a 90 quilômetros da capital paulista. Entre eles, está o delegado Pedro Luiz Pórrio, ex-chefe da Delegacia Seccional de Osasco. "Eles já estavam afastados de suas funções e agora foram presos, porque se mostrou que realmente os indícios de responsabilidade pública são grandes. Falei com o secretário (Segurança Pública) e me certifiquei de que os nove estão presos", afirmou Serra, que evitou outros comentários sobre o caso. O governador foi a Jundiaí para anunciar o plano de expansão do programa Poupatempo, cujo objetivo é ampliar em ao menos 50% a capacidade de atendimento à população com a instalação de 11 novos postos e outras três unidades em Santos, Osasco e São José do Rio Preto até dezembro de 2008. Segundo informou o secretário de Gestão Pública do Estado de São Paulo, Sidney Beraldo, a primeira fase da expansão significará 114 milhões de novos atendimentos. Em Jundiaí, José Serra afirmou ainda que aguarda anúncio de investimentos por parte do governo federal no aeroporto estadual instalado na cidade. "Quando houver investimentos, faremos a concessão. O Governo do Estado não tem aparato para operar um aeroporto específico", disse. "(Jundiaí) É um local prático e tem futuro. Não pode ter aviões muito pesados, mas pode absorver aviação de porte médio e pequeno com muita facilidade", disse.

TATIANA FÁVARO, Agencia Estado

25 de outubro de 2007 | 15h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.