Serra: PM 'não cometeu exageros' em protesto na USP

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse hoje que "caminha para uma solução" a situação criada ontem na Universidade de São Paulo (USP) com a ocupação do campus pela Polícia Militar (PM). Ele afirmou que os policiais "não cometeram exageros" na repressão aos estudantes. A PM usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar a multidão, que protestava contra a presença de policiais no campus e exigiam sua retirada.

VANNILDO MENDES, Agencia Estado

10 de junho de 2009 | 18h03

Após audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, Serra disse que a PM, ao ocupar o campus, "apenas cumpriu uma ordem judicial para assegurar o livre ingresso e o direito de ir e vir na universidade". No protesto de ontem, ao menos seis pessoas ficaram feridas e três foram detidas pelos policiais.

Mais conteúdo sobre:
greveUSPPMJosé Serra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.