Serviços do Google não ligados a buscas podem ser investigados, diz Almunia da UE

Serviços do Google não ligados a buscas podem ser investigados, diz Almunia da UE

Empresa é acusada de desviar tráfego de Internet para promover Google+ e Youtube

REUTERS

23 Setembro 2014 | 13h55

O Google, alvo de investigação antitruste da União Europeia sobre seu motor de buscas na Internet, pode enfrentar mais escrutínio sobre seus outros serviços após diversas reclamações, disse o comissário responsável por competição da UE, Joaquín Almunia, nesta terça-feira.

Almunia disse que isso significa que o caso do Google pode acabar sendo um caso maior que o da Microsoft, que se viu envolvida em uma batalha de uma década com o regulador da UE e foi atingida por mais de 2,2 bilhões de euros (2,8 bilhões de dólares) em multas.

"Temos recebidos reclamações sobre o possível desvio de tráfego de Internet em direção a serviços do Google que não são serviços de busca, então esta é uma possível terceira investigação envolvendo o Google", disse Almunia em testemunho no Parlamento Europeu.

O porta-voz do Google, Al Verney, disse em resposta: "Vamos continuar a trabalhar com a Comissão Europeia para solucionar suas preocupações".

Almunia, que deixará o cargo até o final de outubro, não deu mais detalhes. Não ficou claro se ele abrirá um caso ou deixará isso à sucessora Margrethe Vestager.

Em junho, Almunia disse que companhias incluindo editoras, uma operadora de telecomunicações, uma associação de indústrias e acervos fotográficos e também uma plataforma de publicidade haviam feito reclamações de que o Google aproveitava sua predominância para promover sua rede social Google+ e o Youtube.

Almunia também reiterou comentários anteriores sobre uma possível investigação acerca do sistema operacional de dispositivos móveis Android do Google, o mais popular do mundo e também alvo de diversas reclamações.

(Por Francesco Guarascio e Foo Yun Chee)

Mais conteúdo sobre:
TECHGOOGLEINVESTIGACOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.