Serviços serão terceirizados em zona portuária no RJ

Serviços públicos como coleta de lixo, pavimentação, troca de lâmpadas, poda de árvores e sinalização de trânsito serão terceirizados pela Prefeitura do Rio de Janeiro a partir de hoje numa área de 5 milhões de metros quadrados da zona portuária da cidade. O consórcio Porto Novo, formado pelas construtoras OAS, Carioca Engenharia e Odebrecht, vai assumir os serviços de conservação e manutenção na região por quinze anos.

FELIPE WERNECK, Agência Estado

14 Junho 2011 | 19h59

Vencedor da licitação que estabeleceu a Parceria Público-Privada, o grupo também ficará responsável por obras de infraestrutura como a demolição de um trecho do Elevado da Perimetral (entre a Candelária e a Rodoviária), a construção de 4km de túneis, a reurbanização de 70km de vias públicas e a reconstrução de 700km de redes de água, esgoto e drenagem.

Apontada como futuro "legado olímpico", a revitalização da zona portuária é uma das principais promessas do prefeito Eduardo Paes (PMDB). Para tirá-la do papel, a legislação urbanística da área foi modificada, autorizando a construção de prédios de até 50 andares, acima do gabarito permitido, por meio da compra de títulos imobiliários.

Mais conteúdo sobre:
revitalização porto Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.