Servidores de universidades estaduais protestam em SP

Cerca de 150 pessoas iniciaram nesta tarde protesto em frente à Reitoria da Universidade Estadual Paulista (Unesp), no centro de São Paulo. Estudantes, funcionários e professores acompanham reunião dos reitores das três universidades estaduais - Unesp, Universidade de São Paulo (USP) e Universidade de Campinas (Unicamp) - com o Fórum dos Seis, que representa as três categorias.Eles negociam uma pauta de reivindicações. Professores e funcionários pedem reposição salarial de perdas com a inflação retroativas a maio de 2001, que seria de 6,36%. Os estudantes pedem melhoria na assistência estudantil, como moradia, alimentação e bolsas para pesquisa. Essa é a segunda rodada de negociações sobre o assunto. Representantes das categorias informam que há paralisação nos campi das três universidades.De acordo com um integrante do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), Aníbal Cavali, a manifestação é pacífica, sem intenção de ocupação do prédio. "Dependendo do resultado da negociação, tomaremos medidas." Para Joana Salen, do Diretório Central do Estudantes da USP, a universidade tem condições financeiras de melhorar e ampliar a assistência estudantil. "Hoje a situação é grave. A falta de moradia estudantil funciona quase como um segundo vestibular, pois exclui a pessoas de menor poder aquisitivo." Hoje, os três grupos fazem reuniões específicas e amanhã buscarão uma posição conjunta sobre os próximos passos do movimento. Cerca de 40 policiais acompanham o protesto, dez deles bloqueiam a entrada da Unesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.