Servidores do Ibama cobravam para liberar madeira

A Polícia Federal em Sinop (MT) prendeu, em flagrante, dois servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) que estavam tentando tirar R$ 20 mil do vice-prefeito de Claudia para liberar parte da madeira apreendida pelo órgão ambiental nas últimas semanas na região. Os dois eram técnicos ambientais emprestados do Ibama do Ceará e estavam em Mato Grosso há cerca de 35 dias atuando na operação Verdes Veredas que acontece na região médio norte do Estado desde fevereiro.

FÁTIMA LESSA, Agência Estado

09 Maio 2012 | 18h01

Em Mato Grosso já aconteceram outros casos de prisões de servidores por corrupção. Em 2005, durante a operação Curupira, foram presos 28 servidores envolvidos na venda de Autorização de Transporte de Produto Florestal (ATPF). E no início de 2011, um servidor do órgão em Cuiabá foi preso tentando cobrar propina de uma empresária para providenciar "a suspensão de embargo" de uma propriedade dela. "Todos eram do Ibama de Mato Grosso. Este foi o primeiro caso que colegas de outras unidades agiram desta maneira", disse a superintendente do Ibama em Mato Grosso, Cibele Araújo.

Araujo disse que os dois servidores serão submetidos a processo administrativo disciplinar que será instaurado pela Corregedoria Geral do órgão. Na quinta-feira, segundo ela, o corregedor geral do Ibama em Brasília, Marques Guimarães, chega a Mato Grosso para instaurar o processo disciplinar que pode resultar na demissão dos dois. A denúncia contra eles teria sido feita pelo próprio Ibama em Sinop.

Mais conteúdo sobre:
ambienteIbamacorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.