Sete são acusados de terrorismo militante na Irlanda do Norte

Sete nacionalistas irlandeses foram colocados sob custódia na Irlanda do Norte neste sábado por acusações de terrorismo, em uma das questões de segurança de maior visibilidade da província nos últimos anos.

IAN GRAHAM, REUTERS

19 Maio 2012 | 14h08

Quatro dos suspeitos, incluindo uma mulher de 37 anos de idade, foram acusados de comparecer a um campo de treinamento para militantes, que inclui locais de prática de tiro, próximo à cidade de Omagh.

Os outros três são parentes do proeminente nacionalista da cidade de Lurgan Colin Duffy, que foi absolvido neste ano de acusações relacionadas a um ataque dado cabo pelo grupo militante Real Irish Republican Army (IRA) à instalação militar Massereene Barracks, na cidade de Antrim, há três anos.

Os suspeitos ainda não se declararam culpados ou inocentes.

O Real IRA é um dos vários grupos que se opões ao acordo de paz de 1998 que praticamente deu fim a três décadas de matanças entre nacionalistas irlandeses, em sua maioria católicos, que se opunham ao domínio britânico sobre a Irlanda do Norte, e unionistas, de religião majoritariamente protestante, que queriam que a soberania britânica continuasse.

Mais conteúdo sobre:
IRLANDADONORTE ACUSADOS REALIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.