Sete são indiciados por tumulto no carnaval de SP

A Delegacia de Atendimento ao Turista (Deatur) terminou nesta quarta-feira, 21, o inquérito que investigava o tumulto na apuração de notas do carnaval de São Paulo e, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), indiciou sete pessoas pela confusão que aconteceu no Sambódromo do Anhembi em fevereiro. Outras duas foram responsabilizadas e responderão por contravenção.

ÍTALO REIS, Agência Estado

21 Março 2012 | 18h35

Tiago Tadeu Faria, de 29 anos, e Cauê Santos Ferreira, de 20, responderão por supressão de documentos e danos. Eles invadiram a área de anúncio das notas e teriam rasgado os envelopes. Ambos foram presos, mas pagaram fiança de R$ 12 mil para aguardar em liberdade.

O diretor de carnaval da Camisa Verde e Branco, Alexandre Salomão, e Washington Alessandro Campos devem responder por supressão de documentos. Pelo incêndio no carro alegórico da Pérola Negra, foram indiciados Edinei Moraes Sarmento, de 35 anos, Luciano Zacarias Silva, de 39, e Tiago Henrique do Nascimento, de 22.

Por desordem pública, considerado crime de menor potencial ofensivo, responderão o presidente da Vai-Vai, Darli Silva, o Neguitão, e o presidente da Pérola Negra, Edilson Carlos Casal.

O responsável pela investigação da Deatur, Luiz Fernando Saab, finalizou o inquérito por volta das 14h30 e foi levar os documentos para o Ministério Público de São Paulo em seguida.

Mais conteúdo sobre:
carnavalSPindiciamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.