Setor de crime organizado vai investigar arrastões em SP

Os casos de arrastão em São Paulo passarão a ser investigados pelo Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) da Polícia Civil. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado nesta quarta-feira, 29. Antes, esse tipo de roubo era competência das Delegacias de Polícias onde cada um dos crimes era registrado.

FELIPE TAU, LUCIANO BOTTINI FILHO E GABRIELA VIEIRA, Agência Estado

29 de maio de 2013 | 12h40

Na noite da última segunda-feira, 27, mais um comércio foi alvo de arrastão na capital paulista. A pizzaria Forno da Vila, na Vila Mariana, na zona sul. O crime ocorreu por volta das 21h30, na Rua Capitão Macedo, 552, em frente a uma inspetoria da Guarda Civil Metropolitana (GCM). O caso já está sendo investigado pelo Deic.

Cinco homens armados renderam cerca de 20 clientes, segundo testemunhas. O jornal O Estado de S. Paulo apurou que um suspeito do crime foi morto em uma troca de tiros com a polícia na Rua do Oratório, na Mooca, zona leste da cidade, mas sua fotografia ainda não foi mostrada às vitimas para reconhecimento. O caso foi registrado no 27º DP (Campo Belo) e transferido para o 36º DP (Vila Mariana), área do fato.

Dois produtores musicais de 38 anos e outro de 36 prestaram queixa. Eles relataram à polícia que os suspeitos fugiram levando suas carteiras com diversos documentos, cartões bancários, talão de cheques, chaves, celulares e R$ 400.

Os produtores disseram na delegacia ter ouvido de outras pessoas que os assaltantes chegaram ao local com um Toyota Corolla e entraram discretamente como se fossem clientes. As vítimas foram direcionadas ao 26º DP (Sacomã) para um possível reconhecimento fotográfico de suspeitos, mas até as 11h desta quarta-feira ninguém havia sido preso, segundo a SSP. A pasta informou que não diferencia o arrastão dos demais furtos e, portanto, não sabe informar o número de arrastões registrados em São Paulo neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
arrastõesinvestigaçãoSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.