Setor de tecnologia entra na luta contra mudanças climáticas

Empresas querem diminuir consumo de PCs e o respectivo impacto ambiental

Agencia Estado

14 de junho de 2007 | 16h53

As principais companhias informáticas do mundo, como Intel, Google e Microsoft, se uniram para lançar uma iniciativa comum de economia de energia para lutar contra a mudança climática.Em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira 13, em Londres, a Intel e o Google anunciaram sua adesão a outras empresas e ONGs para o lançamento do projeto Climate Savers Computing, que pretende reduzir 54 milhões de toneladas ao ano em emissões de dióxido de carbono (CO2).Para conseguir este e outros objetivos, como a economia de € 4 bilhões em custos energéticos, o programa estabelecerá novos propósitos para o desenvolvimento de computadores e componentes que economizem energia.A iniciativa, que também terá a participação dos fabricantes de computadores IBM, Dell, HP, Fujitsu e Lenovo, fará um apelo para que as companhias fabriquem computadores com eficiência energética e ferramentas para a gestão do consumo elétrico no mundo todo.PerdasSegundo os diretores da Intel e do Google que compareceram à capital britânica, um computador pessoal convencional consome a metade da energia que recebe, enquanto um servidor perde um terço de seu consumo.Com os objetivos da iniciativa, o desperdício poderia ficar em 10% em ambos os casos, em um prazo de apenas três anos, por um custo que seria de € 15 por unidade no caso dos computadores.A vantagem dos novos computadores eficientes é que economizariam energia, por isso a despesa adicional por computador seria compensada no prazo de um ou dois anos nas contas de luz devido ao menor consumo de energia.O projeto pretende, além de fomentar novos sistemas eficientes na fabricação de computadores, conscientizar os usuários de computadores para que economizem energia.Segundo o vice-presidente da Intel, Pat Gelsinger, os computadores ajudaram a tornar o mundo mais eficiente, com redução de viagens, aumento da produtividade e facilitando as transações pela internet, "mas com as tecnologias atuais de economia de energia se podem conseguir mais objetivos".A redução de emissão de CO2 que poderia ser obtida com o programa Climate Savers Computing, de 54 milhões de toneladas ao ano, equivale à eliminação de 11 milhões de carros no mundo ou à plantação de árvores em uma superfície de 65 mil metros quadrados.Também participam do projeto, entre outros, a empresa de leilões pela internet eBay, o fabricante de microchips AMD, a companhia de redes informáticas Sun Microsystems e a rede de cafeterias Starbucks.

Tudo o que sabemos sobre:
Aquecimento Global

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.