Setor privado tem 4 vezes mais especialistas que SUS

Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) têm um quarto dos médicos em comparação com o setor privado, mostra estudo do Conselho Federal de Medicina (CFM) e do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp). Para cada mil usuários de planos de saúde no País há 7,6 postos de médicos ocupados. O índice cai para 1,95 quando se faz a relação entre postos ocupados e população dependente do SUS.

LÍGIA FORMENTI / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2011 | 03h02

As desigualdades estão em todas as regiões. Nos serviços públicos do Nordeste, por exemplo, há 1,42 posto de médico preenchido por mil habitantes. Bem menos que os 9,62 por mil nos serviços privados. A maior diferença está na Bahia. Um cidadão com plano tem 12 vezes mais médicos que os que dependem do SUS. O Rio exibe a menor desproporção: 1,63 mais médicos na rede particular que na pública.

"O problema não está na quantidade de médicos, mas na distribuição inadequada", diz o vice-presidente do CFM, Aluísio Tibiriçá. O coordenador do trabalho, Mário Scheffer, destaca que em algumas regiões a relação de médicos e pacientes é menor que a registrada em países africanos e, em outros, superior a de países da União Europeia. "É preciso haver uma política para fixar profissionais nas regiões ", avalia.

Para o presidente do Cremesp, Renato Azevedo Júnior, mais importante que abrir novas escolas e formar mais médicos, projeto anunciado pelo governo, seria investir mais no setor público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.