Shopping é reaberto no RS após suspeita de bomba

O Praia de Belas Shopping Center, na região central de Porto Alegre, foi esvaziado nesta quinta-feira e ficou por quase três horas fechado depois de uma de suas joalherias ser roubada. Os ladrões levaram parte da mercadoria da loja e deixaram um artefato parecido com um explosivo sobre um balcão.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

17 de janeiro de 2013 | 17h56

Seguindo os protocolos de segurança para situações semelhantes, a Polícia Militar retirou todas as pessoas que estavam dentro do prédio e passou a analisar a suposta bomba. Ao final, descobriu que a montagem não passava de um simulacro e liberou o edifício para reabrir suas portas, por volta das 14 horas.

A ação dos ladrões chamou a atenção da polícia pelo planejamento detalhado. Na noite de quarta-feira (16), o grupo rendeu uma funcionária da joalheria e o namorado dela em Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre. Os dois foram levados para um cativeiro, onde ficaram toda a noite. Quando o shopping abriu, às 10 horas desta quinta, a funcionária foi obrigada a ir à loja, acompanhada de outra mulher, integrante da quadrilha, e entregar a ela peças que estavam nos balcões.

Como a ação foi discreta, poucas pessoas perceberam que se tratava de um roubo. A quadrilha, que estava aguardando nas redondezas, fugiu para Canoas, também na região metropolitana da capital gaúcha, onde libertou os dois reféns. A polícia acredita que a falsa bomba foi deixada no local para chamar a atenção da segurança e evitar uma perseguição logo no início da fuga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.