Simulação de afogamento 'seria tortura'

Chefe de inteligência dos EUA diz que 'mal pode imaginar dor' causada pela prática.

BBC Brasil, BBC

13 de janeiro de 2008 | 08h59

O diretor nacional de Inteligência dos Estados Unidos, Michael McConnell, disse que a técnica de interrogatório que simula o afogamento "seria tortura", se ele próprio fosse submetido a ela.McConnel disse que a técnica também seria tortura se resultasse na entrada de água nos pulmões do interrogado.Em entrevista à revista New Yorker ele afirmou que, caso a prática seja classificada oficialmente como tortura, haverá uma "penalidade enorme" para quem a cometer.Na polêmica técnica, o prisioneiro é deitado e um pano é colocado em sua boca ou um pedaço de plástico colocado sobre seu rosto. Os interrogadores jogam então água sobre o rosto do prisioneiro."Se eu tivesse água entrando em meu nariz, meu Deus, eu não consigo imaginar a dor", disse McConnel.DorSegundo o diretor, o teste legal para determinar se uma prática constitui tortura deveria ser "bem simples"."É doloroso ao ponto de forçar alguém a dizer algo por causa da dor?", disse.Mas ele se recusou, por razões legais, a dizer se o governo americano deveria classificar a prática como tortura.Comitês de inteligência do Congresso, que querem proibir a prática, estão investigando a destruição de fitas de vídeo pela CIA (o serviço de inteligência americano). Acredita-se que essas fitas mostravam agentes usando o afogamento simulado em suspeitos de terrorismo.Em dezembro, a Câmara dos Representantes aprovou uma lei que iria banir a CIA de usar métodos de interrogatório cruéis, como a simulação de afogamento.O presidente George W. Bush ameaçou vetar a lei, que forçaria o serviço de inteligência a respeitar as regras que já são adotadas pelo Exército e a seguir as Convenções de Genebra.O procurador-geral Michael Mukasey se recusou a dizer se o método é tortura.Mas, durante sua posse no Senado, ele afirmou que o afogamento simulado é "repugnante" e que iria revisar a questão.A CIA não usa a técnica desde 2003, Há relatos de que a agência teria usado a técnica em três prisioneiros entre 2001 e 2003, incluindo o recrutador da al-Qaeda Abu Zubaydah.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
torturaciaestados unidosmcconnell

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.