Sindicalista e esposa são mortos na frente das filhas no interior

Casal chegava em casa em Araraquara e as três filhas conseguiram se esconder no banco traseiro do carro

Cláudio Dias, de O Estado de S. Paulo, e Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

21 Novembro 2008 | 10h06

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Autônomos de Araraquara, Flávio César Ferreira Barreto, de 43 anos, e a esposa Cássia Adriana Junquete, de 42 anos, foram assassinados na frente das três filhas quando chegava em casa, uma chácara em Araraquara, a 270 km de São Paulo, na madrugada desta sexta-feira, 21. O casal foi baleados e morreu dentro do carro. As filhas viram tudo no banco traseiro.   O casal chegava em casa com as três filhas de 9, 12 e 14 anos no banco traseiro, quando foi surpreendido ao esperar o portão eletrônico abrir. Segundo o depoimento da menina mais velha, dois homens que estavam escondidos atrás de uma lixeira chegaram até o casal e, sem dizer nada, passaram a atirar. O sindicalista levou dois tiros no peito e outro no queixo. A esposa foi baleada na cabeça, ombro e perna.   As meninas escaparam da ação por um detalhe. O vidro com a película escura protegeu as filhas porque os atiradores não teriam visto elas abaixadas. À polícia, a jovem de 14 anos contou que abaixou as irmãs ao ver a dupla correndo em direção ao carro, um Fiat Strada. "Foi uma tocaia, uma execução. Armaram pra eles mesmos", diz um policial civil que acompanhou o caso. A Polícia Civil não tem pistas sobre o caso.

Mais conteúdo sobre:
violência assassinato Araraquara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.