Sindicância descarta erro médico em Bertioga-SP

O secretário de Saúde de Bertioga (SP), Manoel Prieto Alvarez, disse hoje que a sindicância realizada pela prefeitura apurou que o menino J., de 10 anos, foi internado no último dia 3 no Hospital Municipal da cidade para realizar mesmo uma cirurgia referente ao diagnóstico "hérnia umbilical", contrariando a denúncia da mãe da criança, que afirmou ter sido surpreendida ao ver seu filho com um curativo na barriga porque o menino havia sido internado para retirar um nódulo da boca.

REJANE LIMA, Agência Estado

10 de fevereiro de 2011 | 19h06

De acordo com Alvarez, entretanto, o diagnóstico de hérnia está comprovado por meio de guias, contendo o histórico da cirurgia e a ciência da responsável, inclusive com a assinatura dela. O médico, entretanto, não mostrou a documentação à imprensa e informou que isso só será possível após a conclusão da sindicância, que deverá terminar em até 30 dias.

O secretário admite que a criança foi encaminhada ao hospital pelo pediatra da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Jardim Vicente de Carvalho II por causa de um cisto na boca. Porém, já na primeira consulta no hospital com a cirurgiã pediátrica Tânia Maria Salgado Alves, em 15 de julho, foi detectado que além do cisto a criança tinha uma hérnia umbilical.

Segundo o secretário, a cirurgia da hérnia umbilical se tornou prioridade no prontuário oficial do paciente já nesse dia, pois poderia provocar desdobramentos clínicos e colocar em risco a qualidade de vida da criança. Ele disse ainda que foram pedidos os exames necessários para a realização da hernioplastia umbilical na consulta seguinte, em 29 de julho, e que após a conclusão dos exames a cirurgia foi marcada.

Entretanto, a mãe da criança, a auxiliar de limpeza Lucineia Matias Castro, de 39 anos, afirma que o J. não fez nenhum exame preparatório. "Ele não fez nenhum exame e nunca me falaram que ele tinha hérnia. Eu tenho o papel aqui mostrando que ele internou por causa da boca e na segunda-feira já mostrei na delegacia, fui lá e registrei um Boletim de Ocorrência", disse Lucinéia. Segundo ela, o menino se recupera bem da cirurgia, mas continua com os pontos e o curativo. "O problema é que ele agora está com medo de ir ao hospital para tirar os pontos e o ''carocinho'' na boca continua doendo quando ele mastiga", completa.

Tudo o que sabemos sobre:
sindicânciasaúdeBertioga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.