Sindicato em SP quer mais rigor na liberação de alvarás

O deputado estadual e presidente do sindicato da Construção Civil, Antonio de Sousa Ramalho (PSDB), o Ramalho da Construção, afirmou nesta segunda-feira (28) que irá propor medidas conjuntas entre o Estado e o município de São Paulo para criar dispositivos mais rigorosos na liberação de alvarás para estabelecimentos que abrigam eventos com grande concentração de pessoas.

GUILHERME WALTENBERG, Agência Estado

28 de janeiro de 2013 | 15h22

"Temos de ficar atentos a essa situação. O interesse econômico de empresários não pode estar acima da segurança das pessoas", afirmou Ramalho, ao comentar a tragédia ocorrida no Rio Grande do Sul. Para o deputado, o incêndio ocorrido na madrugada de domingo (27) na boate Kiss, em Santa Maria, que vitimou 231 pessoas, é um alerta para que as fiscalizações sejam mais rigorosas de modo a evitar que situações como essa voltem a ocorrer. "Essa lamentável tragédia que aconteceu em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, é um alerta para aumentarmos, ainda mais, a fiscalização para a concessão de alvarás para casas de shows", disse.

Segundo ele, muitas casas de show funcionam de maneira irregular - assim como a boate de Santa Maria, que tinha o alvará vencido desde agosto do ano passado. Ramalho afirma que isso compromete a segurança daqueles que frequentam tais locais. "Sou presidente do Sindicato da Construção Civil e sei que a maioria dessas casas não está regular. A fiscalização tem de ser severa e permanente", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.