Síria remove primeiro lote de armas químicas, diz Opaq

A Síria removeu do país o primeiro lote de material de armas químicas, transportando-o de dois locais para a cidade portuária de Latakia e colocando-o numa embarcação dinamarquesa, disse nesta terça-feira a Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq).

Reuters

07 de janeiro de 2014 | 14h16

"O navio está sendo acompanhado por uma escolta naval", disse em comunicado a Opaq. "Ele vai permanecer no mar à espera da chegada de material químico adicional prioritário ao porto."

A Síria concordou em abrir mão de suas armas químicas até junho, sob um acordo proposto pela Rússia depois de um ataque à gás pelo qual o Ocidente culpou as forças do governo sírio. Damasco acusou os rebeldes pela ação.

A guerra, tempo ruim, burocracia e detalhes técnicos atrasaram a remoção do material mais tóxico da Síria, antes marcada para 31 de dezembro. A Opaq não disse quanto dos químicos "mais críticos" foi embarcado no navio dinamarquês.

"Uma primeira quantidade do material químico prioritário foi removida de dois lugares para o porto de Latakia para verificação e colocada no navio dinamarquês hoje", afirmou o comunicado da agência. A Opaq declarou que a segurança marítima está sendo feita por navios chineses, dinamarqueses, noruegueses e russos.

O governo sírio é responsável por embalar o material, pelo transporte até o porto e pela retirada das armas.

(Reportagem por Oliver Holmes)

Mais conteúdo sobre:
SIRIAARMASLOTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.