Sistema Cantareira volta a cair mesmo com chuva

As chuvas dos últimos dias foi insuficiente para aumentar a reserva do Sistema Cantareira. Neste domingo, o volume disponível voltou a cair, atingindo 12,1% de sua capacidade total. Ontem, esse patamar estava em 12,2%, e na sexta-feira, em 12,4%, de acordo com monitoramento realizado pela Sabesp. O montante já considera a segunda cota do volume morto, que passou a ser contabilizada no último mês.

CIRCE BONATELLI, Estadão Conteúdo

02 Novembro 2014 | 11h28

O mês de outubro teve menos chuva sobre o Sistema Cantareira do que a média dos últimos anos. A pluviometria acumulada do mês foi de 42,5 milímetros (mm), enquanto a média histórica do mês é de 130,8 mm.

A estiagem também afeta o Sistema Alto Tietê. A pluviometria acumulada de outubro foi de 20,1 mm, patamar bem abaixo da média histórica de 117,1 mm para o mês. A reserva do Sistema Alto Tietê se manteve em 8,9% neste domingo, nível igual ao de ontem, segundo a Sabesp.

O Sistema Cantareira é a principal fonte de abastecimento da região metropolitana de São Paulo, atendendo 8,1 milhões de pessoas, enquanto o Sistema Alto Tietê é responsável pelo abastecimento de 3,1 milhões de pessoas.

Nas demais reservas que atendem a região, a situação é menos crítica. No Sistema Guarapiranga, que atende 3,8 milhões de pessoas, o volume armazenado está em 38,8%. No Rio Grande (1,6 milhão de pessoas), o volume é de 68,5 %, no Rio Claro (1,2 milhão de pessoas) é de 42,2 %, e no Alto Cotia (400 mil pessoas), 30,0 %.

Mais conteúdo sobre:
Cantareira chuvas Sabesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.