Sistemas locais e federal serão interligados

Uma equipe do Ministério da Saúde desenvolveu uma ferramenta que poderá fazer a ligação entre os sistemas locais e o federal, chamada barramento. De acordo com a secretária-executiva do Ministério da Saúde, Márcia Bassit, ele pode entrar em funcionamento neste ano. Será preciso adotar uma ferramenta que permita que todos os sistemas usem a mesma linguagem.

Lígia Formenti / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2010 | 00h00

A proposta foi apresentada pelo governo quatro anos depois de um grupo de trabalho ter sido formado para avaliar as ações que haviam sido feitas sobre o cartão. "Não acho que foi demorado", disse a secretária. "Tudo foi discutido, pensado." Até hoje, foram gastos com o programa cerca de R$ 400 milhões.

A intenção é que na primeira fase, ainda no governo Lula, seja ofertado o programa desenvolvido pela equipe do ministério. "Nessa primeira etapa, a ideia é interligar os cartões existentes", disse Márcia. Novas adesões poderão ser feitas por municípios.

Para Francisco Júnior, presidente do Conselho Nacional de Saúde, a ideia de criar um vínculo entre o cartão e as carteiras de planos de saúde é boa. "Mas há ainda muito o que discutir."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.