Site sul-africano promove encontro entre soropositivos

Não importa a orientação sexual, a cor de pele ou a cultura: O vírus da aids não conhece barreiras. Este foi o princípio que serviu de base para a criação do "The Positive Connection", um site sul-africano onde todos os membros compartilham duas coisas: Procuram um amor e são soropositivos. "Sou HIV positiva, amo a vida e busco alguém que queira ser amado e me ame com todo o seu ser, talvez eu seja uma romântica antiquada, porém continuo acreditando no amor verdadeiro", afirma a mensagem de apresentação de "Sweetgirl", uma sul-africana de 33 anos. O site foi criado há três anos para a população da África do Sul, onde 5,5 milhões de pessoas são portadoras do vírus HIV, segundo o último relatório apresentado pela Unaids. O país só perde para a Índia em relação ao número de pessoas que tem aids. O projeto foi evoluindo, rompendo barreiras raciais, religiosas e geográficas, "assim como o próprio vírus HIV, que é cego diante de classes sociais ou culturais das pessoas", afirma Ben Sassman, que não é portador da doença, mas que criou o site. O publicitário sul-africano de 39 anos conta que a idéia surgiu em uma visita a sua cidade natal, Cidade do Cabo, onde encontrou um amigo que revelou ter contraído o vírus HIV. "Ele me falou sobre as dificuldades que enfrentava para se relacionar, pois quando conhecia uma mulher e revelava sua doença, ela nunca mais voltava", declarou Sassman. "Quando uma pessoa descobre que é soropositivo pode recorrer a um conselho de um profissional, de um amigo ou de um familiar, mas quando se trata da forma de agir em um encontro não há um manual ou uma regra a ser seguida", diz. Após navegar pela internet durante semanas e constatar que nenhuma agência de encontros se interessava por seu amigo soropositivo, ele iniciou o projeto com um investimento inicial de 5 mil euros. Sassman define o serviço, que é totalmente gratuito, como uma "plataforma para encontrar o amor em uma sociedade que não aceita os soropositivos".

Agencia Estado,

17 de agosto de 2006 | 15h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.